21 novembro 2008

S. MARTINHO


-----O passeio em honra de S. Martinho, realizou-se em clima de grande festa, na margem do Douro de Vila Nova de Gaia, mais precisamente entre Avintes - Oliveira do Douro - Ponte D. Luís.

-----Tudo começou pelas 14H30, no parque de estacionamento do casão militar, na Rua da Boavista - Porto, percorrendo algumas artérias da cidade invicta (zona histórica).

-----Tudo a correr sobre rodas, até que chegados a uma das mais afamadas ruas do Porto (Caldeireiros), decidi fazer jus ao título recentemente conquistado (rei das quedas) e caí em grande estilo, em parte devido ao piso escorregadio (e a alguma falta de habilidade, por sorte e ajuda do bendito capacete (Giro) recentemente adquirido (as más línguas dizem que a queda foi propositada para experimentar o dito cujo), não sofreu mais que um hematoma na zona do rabo.

-----Após este primeiro percalço, o passeio lá continuou, fotografia daqui, fotografia d´acolá o passeio lá continuou até à Avenida da República em Gaia, sendo notória a boa preparação dos diversos betetistas, nomeadamente a boa preparação do "jarro" Costa, que ganhou todas as metas volantes, levando assim para casa o titulo de rei das metas volantes e uma boa maquia em garrafões de jeropiga (prémio para as metas volantes).


-----Uma palavra de apreço para o regressado Miguel Cunha, que com sotaque (devido as suas funções de linguista) lá apareceu a um passeio dos pobres, foi complicado entende-lo mas a pedalar fez jus à expressão (quem sabe, nunca esquece).

-----Na chegada ao areinho de Avintes o Costa perdeu-se da restante comitiva, tendo momentos mais tarde alcançado a mesma, fruto do seu faro apurado em muitos anos de paralelo.


-----Explicou então que seguiu as instruções dadas, mas não contou que a estrada que continuava para além de um portão, fosse propriedade privada e esteve para ser corrido a tiro de caçadeira.

-----Agora só entre nós, estou em crer que rei das metas volantes foi atraído por umas videiras promissoras que começavam logo na entrada da dita quinta e que prometiam pipos cheios de néctar de Baco.


-----Lá continuamos com destino ao areinho de Oliveira do Douro e lá tivemos que escalar uma rampita, onde ninguém quis dar parte de fraco e por esse motivo, nem se notou que estávamos a subir.

-----Já na descida a ECOBIKE tinha preparado uma surpresa...

-----Por baixo de um viaduto da auto estrada e depois de uma descida vertiginosa, onde o Costa (rei das metas volantes) empurrou o Marito de Miragaia contra as silvas, que por pouco não estragou o seu rico penteado (leia-se palinha).

-----Com entulho depositado em plena via pública fizemos duas rampas que serviram para fazer uns saltinhos.

video

-----Tudo a correr sobre rodas até que por fim o nosso estimado organizador de mega eventos internacionais (Porto – Santiago de Compustela), Valente Complostela decidiu fazer um salto em condições e toca de ir para trás e dar mais lance, até aqui tudo bem, só que da segunda vez deve ter dado lance a mais e na aterragem a máquina não obedeceu ao dono e pronto o resto imagina-se.

-----Nada de grave aconteceu, para além de uns arranhões superficiais.


-----No areinho de Oliveira do Douro e já com o final do passeio à vista, fez-se uma paragem para se beber uma pinguinha de gerupiga.

-----Pelas 17H40, conforme previsto, chegamos ao local do Magusto, na Rua da Boavista, onde com a ajuda de uns armários velhos, lá se conseguiu fazer umas brasas para se poderem assar (mais ou menos) umas castanhas.



-----Temos aqui que agradecer a colaboração do maratonista Pereira, que com um fogareiro e um tacho lá foi assando as ditas cujas.

.

.

.

.

.

.

.

.

S. Martinho

.

.

.

GPSies - Passeio de São Martinho

.

6 comentários:

Anónimo disse...

Nobel Gigantones continua na escrita das crónicas fantásticas, fruto de passeios bem elaborados, contudo deve ter medo de ser comparado ao José Saramago e acaba por ter uma capacidade de resumo extraordinária...esqueceu-se de:
- Mencionar as caras novas nos nossos passeios;
- De salientar que o Tó Jó retirou-lhe o titulo de rei das quedas;
- Da super maquina do costinha, que conseguiu a proeza de andar com pneus de estrada nos trilhos de mato, com apenas um furo.
Obrigado a todos os que participaram neste passeio e o tornaram numa tarde memorável. Abraços e até o próximo.
vitokourov

Anónimo disse...

Gigantones ao seu melhor nível: O Tarentino de serviço. Grande filme, grande montafem de animação e comentário à altura. Parabens.

Bem vindos sejam os novos entusiastas das bicicletas, sejam de estrada ou montanha.

Palavra de apreço para o KING KEDAS - TÓ JÓ. Conseguiu destronar o Gigantones (não é facil).

Sem esquecer a participação do Laranjeira (estradista puro, ainda sem alcunha ou nick name), sempre à altura dos acontecimentos, mesmo os mais "escorregadios e irregulares".

O Emanuel (chupa) com o seu novo bólide - BH Supra 600. Sorte já estar ensinado (o bólide claro).

Costinha (urtigão - ainda tem a perna a arder) que com a sua máquina pôde passear a boa forma física e mental.

E não podia deixar de mencionar o TIRGÃO, sempre bem disposto e também a revelar boa forma. Este indivíduo é a prova viva que não é preciso muito treino, apenas vontade.

O resto é só mancos e velhacos já bem conhecidos destas andanças.

Parabens Ecobike.

Ass. JP Leite

Anónimo disse...

Além desses cromos difíceis não se podem esquecer da dupla da BPC o vitaminas, peso bruto numa bicicleta de mulher e o careca numa maquina do continente, tipo specialized, mas só que de 40 euros...
Mas sempre no pelotão da frente para aparecerem nas fotos.
assinado: 8/80

Mário disse...

O verdadeiro passeio de Mancos.
Num percurso de nível técnico 0 e físico -2, ainda deu para 7 ou 8 quedas, 2 pedidos de baixa, 5 ou 6 que não fizeram sexo (claro está anal, com os seus cus) durante 7 dias. Uma vergonha.
Só valeu a pena pelo single track do Douro e pelo Moscatel do Zé Gouveia.
Marito

Anónimo disse...

um singletrack?...foram vários e num percurso citadino.
ficastes a conhecer uma margem do rio douro que desconhecias e com uma vista para a cidade do Porto diferente...

Anónimo disse...

tó jó - alzeimer, tanto treme que passa a vida no chão!!