27 janeiro 2016

GEOBIKE DRAVE








|  GEO 80  |  GEO 50  | GEO 30  |




PRAZOS DE PAGAMENTO

Inscrição a 5 € (cinco euros) até às 23h59 do dia 30/Jan. (sábado).

Depois desta data o valor da inscrição passa para
10 € (dez euros) e terminam às 23h59 do dia 04/Fev.

nib: 

0010 0000 5196 0570 0018 9
»
ECOBIKE - Associação Desportiva

Informações do evento 
 Evento 1ª etapa EPIC


Não percas tempo e confirma já a tua inscrição, enviando

comprovativo de pagamento para  

comprovativosgeobike@gmail.com 




25 dezembro 2015

FELIZ DE NATAL




Passou mais uma festa de Natal e do Passeio das Luzes de Natal, no Porto.

Obrigado a todos e um Bom Ano.






Fotos do passeio clique no icon do face.

 fotos 9.º Passeio das Luzes de Natal

15 dezembro 2015

PASSEIO LUZES DE NATAL



Está quase a chegar mais uma edição do  PASSEIO DAS LUZES DE NATAL 
.
17h00 - 19.Dez.



Passeio de 15km, com ponto de partida e chegada do Palácio de Cristal - Porto, tem, entre outros objetivos, ver as luzes de Natal da cidade do Porto e Vila Nova de Gaia, em passeio de bicicleta e possui uma componente de apoio social à Aldeias de Crianças SOS.



9.º CHRISTMAS LIGHTS STROLL

15km stroll with departure and arrival at Palácio de Cristal, that allows you to admire the city`s Christmas lights riding a bike, while socially supporting the SOS Children's village of Gulpilhares.


Info: 
Apoio:
CMP/Porto Lazer
Contamos com vossa presença.

08 dezembro 2015

ASSALTO AO CARAMULO


A alvorada foi às 05h00, para o pelotão da Invicta, composto por quatro ex-elementos das forças especiais portuguesas e um ex-marinheiro de Braga, prepararem o material de "guerra", e avançar na chaimite em direção a Vila Nova de Monsarros, no concelho de Anadia.



Local de concentração das tropas do Batalhão de Monsarros, foi frente ao campo de futebol local.



Pelas 08h00, com 3.º graus, arrancamos em direção ao tasco da aldeia, antes de iniciar as hostilidades. 


Os primeiros quilómetros foram feitos tranquilamente por estrada, para as tropas delinearem estratégias de ataque e o Assalto ao Caramulo.



O pelotão seguia animado às ordens de capitão dos MAMA SUMAE,



e na frente o Roger, militar (gps) da Força Aérea, guiava-nos pelo meio da neblina matinal.



Percorremos terreno de mato, com pequenos paus e alguma pedra solta no solo,



que aos 10km fez moça no tanque de guerra do homem da infantaria e lá se foi o dropout e o desviador.


Numa equipa cheia de capacidades técnicas, o sargento mecânico da FAP, ao fim de algum tempo lá colocou a máquina a trabalhar, apenas com uma velocidade (single speed).



Enquanto uns trabalhavam outros tratavam da ração de combate, para seguirem mais leves...



 Depois do restante contingente do batalhão ter passado por nós lá conseguimos seguir destino.





Por volta dos 20km, tivemos de fazer um atalho (engano do guia), para fugir ao inimigo e avançamos para o meio das silvas monte abaixo. 



Lá regressamos ao caminho do nosso batalhão, mas volvidos alguns metros, na localidade do Painçal,



o tanque do homem de infantaria voltou a parar devido avaria.



As rotações foram muito fortes para abrir caminho no meio do mato, que empenou a cassete.

Mais uma paragem prolongada para conseguir colocar a corrente numa posição que aguentasse.

O contingente de tropas aliadas (atrasados) continuava a passar-nos em direção ao objetivo.



Infelizmente, tivemos de separar o pelotão de duros, tendo o Ranger acompanhado o homem de infantaria, enquanto o capitão seguiu com dois soldados para o topo da serra.



Mas, primeiro repartiram os mantimentos para a viagem.



 Na localidade de Laceiras seguimos no carreiro estreito, técnico e paisagístico, ao longo da Ribeira das Paredes,



com várias quedas de água e pequenas lagoas, rodeadas de vegetação.



Logo a seguir apareceu a primeira parede do dia, com inclinação de 19,9%, que nem deu vontade para fotos.

A subida continuou quase sempre em estradão largo, no meio de mato, até chegar as eólicas,

sem motivos para fotos ou para admirar a paisagem em redor.



Por esta altura, começamos a cruzar-nos com as tropas que cumpriram o seu objetivo e regressavam ao acampamento base.



Aos 700 metros de altitude e quase a chegar ao destino...



Antes disso um caminho com muita pedra solta...(sem fotos)



A subida continua ...cada vez com mais tropas...





Ao chegar à localidade de Malhapão de Cima, os militares (betetistas) eram tantos, que nem conseguimos entrar no café da aldeia, para assinar o livro de presenças.


Tivemos de adiar o reforço alimentar.


Pedalamos mais 3km, para chegar ao Caramulinho, por volta das 13h10, com 40km.







Hora certa para atacar o salpicão acompanhado de cerveja.



A fila para o churrasco era grande, que a alternativa foi caldo verde e mais cerveja.




Enquanto comíamos assistimos a um pedido de casamento.



 A terceira vez no Caramulinho, consegui levar a bike até ao topo (1076,57 metros)



para isso foi necessário carregar a mesma ao longo de 290 degraus e mais alguns calhaus para lá chegar.



Paisagem a perder de vista.



Os duros no topo da Serra do Caramulo (com as medalhas).



Pelas 14h15, começamos a descida,



que em alguns sítios passava no mesmo local da subida.



Foram cerca de 36km, com muita estrada e estradão de mato.

Terminamos a romaria do btt ao Caramulinho, em  V.N. de Monsarros pelas 15h45, com 79,2km, e mais de 2000+ de acumulado.


Antes de regressar ao quartel general no Porto, fomos almoçar ao café da Esquina, onde fomos muito bem recebidos e bem servidos.


 

Obrigado António Silva.